Entrevista – Mapeando o manifesto: O tempo pergunta ao tempo quanto tempo o tempo tem

Uma nova entrevista com a Linha de Fuga | Catarina Saraiva.
Fotografia: Speed date | Augusto Fernandes

“Linha de Fuga é uma estrutura muito recente e pequena que está a aprender a organizar-se no seu território. Dentro das nossas linhas de pensamento estes são dois eixos que nos norteiam porque permitem desenvolver todo um sistema de valores que, cremos, nos levarão a um bem-estar e ao cuidado que temos que dar a tudo o que fazemos e ao que nos rodeia. O tempo é algo muito precioso para nós, para que consigamos pensar com cuidado em tudo o que propomos aos artistas, parceiros e público com que colaboramos. A nossa atividade funciona em ciclos bienais que começam com o festival e laboratório de criação Linha de Fuga que funciona como um espaço de experimentação, não só de projetos artísticos, mas também de relações com o entorno e de novos pensamentos de gestão e colaboração. Temos a noção de que precisamos de tempo para desenvolver relações, processos artísticos e entendimento do que significa a arte em cada território. ”

Continuar a ler aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s